Noções

Entre mim e mim, há vastidões bastantes
para a navegação dos meus desejos afligidos.

Descem pela água minhas naves revestidas de espelhos.
Cada lâmina arrisca um olhar, e investiga o elemento que
a atinge.

Mas, nesta aventura do sonho exposto à correnteza,
só recolho o gosto infinito das respostas que não se
encontram.

Virei-me sobre a minha própria existência, e contemplei-a
Minha virtude era esta errância por mares contraditórios,
e este abandono para além da felicidade e da beleza.

Ó meu Deus, isto é a minha alma:
qualquer coisa que flutua sobre este corpo efêmero e
precário,
como o vento largo do oceano sobre a areia passiva e
inúmera...

(Cecília Meireles)

* Eu tentei, mas o cansaço não deixou...rs

8 Entra aí!:

Liciane disse...

Muito bonito, profundo... Eu adoro Cecília Meireles.
Bom findi!
Bjss

Sandra Timm™ disse...

Quando o cansaço chega, nao tem jeito. Ainda bem que podemos lançar mao de textos lindos como esse.

[o "meu" conto - de Caio - termina hoje. O amor pode dar certo. As vezes)

Sandra Timm™ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mauri Boffil disse...

ficou mto bonito, Monikinhaa
devemos conversar pela cam mais vezes, uhauhauha

Stella disse...

O cansaço não larga mais da gente, né? Mas, ao mesmo tempo, eu não quero férias não. Férias onde eu moro deixa a pessoa meio neurótica.

Beijo!

Francisco disse...

Ah, quando o cansaço pega, nem Cecília Meirelles sacode a gente!
Mas até onde deu pra ler, o texto é ótimo.
Um beijão!

Silvio Koerich disse...

Eu preciso aprender com estas pessoas a fazer rimas e estruturas pros meus poemas sobre minha vida de bosta

Passa no meu blog e vê se gosta

Tô te seguindo

Abraços

Déia disse...

Rs, linda, também tô o pó...rs
Mas pássei pra dizer que adorei!
bom fds! bj