Preconceito ou falta de senso?

Ultimamente tenho evitado assistir aos telejornais porque só vemos notícias de mortes, assaltos, abusos de menores, estupros, enfim, uma verdadeira desgraça! Mas quando alguma notícia me chama atenção eu paro pra ver e há uns dias ouvi a seguinte chamada: "professor acusado de fazer apologia ao homossexualismo é afastado de escola." Logo pensei que ele incentivava seus alunos a práticas homossexuais de forma direta e frequentemente.

Para minha surpresa, a acusação se deu ao fato de que o professor, alegando a intenção de demonstrar a conjugação de verbos no passado em inglês, selecionou a música "I Kissed a Girl", de Kate Perry em que a cantora diz ter bebido demais, beijado uma garota e gostado.

Em sua entrevista, o professor disse que seus colegas de trabalho e demais pessoas que trabalhavam na escola de língua onde ensinava o olhavam sempre com "olhares curiosos" porque ele sempre coloria o cabelo e usava roupas coloridas, "estilosas", mas que nunca tinha sido alvo de preconceito, diretamente falando.

Ao fim da entrevista foi frisado que os coordenadores do curso teriam orientado-o a escolher outra música, mas ele não seguiu a orientação.

Discordo que ele tenha feito apologia ao homossexualismo, até porque, pela letra da música, fica claro que a menina tinha bebido demais e por esse motivo ela ficou mais "solta", viu a outra menina e se sentiu atraída a ponto de querer beijá-la. Sabe-se lá porque ela escreveu essa música. Talvez ela tenha uma tendência homossexual, mas e daí? Essa música é mais ofensiva do que essas músicas de funk que chamam as mulheres de cachorra, ou do que as de forró que dizem "chupa que é de uva"; "senta que é de menta"?
Será que ele seria repreendido se escolhesse músicas com letras homofóbicas cantadas por determinados rappers?

No entanto, concordo que ele não tenha sido feliz na sua escolha porque, queira ou não, a letra fala sobre a perda de senso que a bebida proporciona. O excesso de álcool nos tira a noção, a consciência de certo ou errado (não estou me referindo ao homossexualismo), o reflexo, enfim. Ele deu mais ênfase à conotação sexual da música, levando a intervenção da escola na sua exposição aos alunos como mero preconceito e esqueceu que havia uma outra abordagem, a meu ver, principal. Esqueceu que tinha adolescentes como alunos e que estes precisam de uma orientação mais correta possível, pelo menos dentro da escola, ainda que da porta pra fora eles ouçam o que bem quiserem. Professores são, acima de tudo, educadores e formadores de opinião, portanto, é preciso que tomem cuidado com os exemplos que levam para a sala de aula.

Se quando orientado a escolher outra música ele entendeu que estava sendo vítima de preconceito deveria ter questionado isso com os próprios coordenadores e não ter levado a coisa até às últimas consequencias.

E vocês, o que acham: preconceito da escola ou falta de senso do professor?

3 Entra aí!:

andreia inoue disse...

olaaaa!!!
acho que nao teve nada a ver demitir o professor so por causa da letra da musica que ele escolheu para lecionar,primeiro nao seria uma musica que faria um aluno se decidir por ser homossexual,se fosse assim, todos nos ja seriamos por conta das novelas que sempre esta abordando esse tema,
acho que foi uma tremenda babaquice!!!!

Mauri Stern Boffil disse...

segundo a minha idéia: preconceito da escola
segundo a ideia do coordenador (que já falou sobre isso ha um tempão): falta de senso

Lou disse...

Olha, essa música é um hit entre os adolescentes!
Mas, eu não me arriscaria a dar essa música em sala porque não acho que caiba a uma professora de inglês entrar nessas polêmicas.
O que eu não admito são comentários preconceituosos em sala de aula. Adolescente tem mania de falar: é sapatão, é viadidnho... Eu corto na hora e falo que isso não é importante e não influencia em nada o que estamos estudando. É impressioannte como eles já vem com o preconceito enraizado de casa.
Eu vou dar uma cena do musical "Hair" para os meus alunos, mas eles já são adultos, uahuahauhau.
Beijinhos