♪Existem coisas na vida das quais até Deus duvida...♫

Há uns quinze dias fui jantar com uma amiga, sua filha, seu irmão e o namorado dele. Ela e o irmão queriam ir a um restaurante chique e eu estava doida para comer sushi em um restaurante ótimo na orla. Rodamos, rodamos e rodamos para achar o bendito restaurante chique: Château Blanc. De cara, pensei: isso vai me custar caro...

Entramos e não tinha NINGUÉM lá dentro. Sentamos à mesa e logo o pianista começou a tocar. Veio o garçom com a sugestão do prato: carne de javali. Pedimos o cardápio para escolhermos a nosso gosto e também para ver os preços. Quando eu não posso visualizar a comida, prefiro pedir uma coisa que já conheço para não correr o risco de continuar com fome. Portanto, pedi um penne ao molho branco e camarão.

Minha amiga, querendo dar uma de chique, escolheu um fricassé de champignon. Quando chegou o prato, ela começou a beliscar o meu porque tinha odiado a escolha. Resultado: saí de lá satisfeita e ela comeu metade da comida...rs. A conta não foi das maiores, pelo menos a minha.

Contei isso tudo para chegar aqui:

Estou fazendo um curso de capacitação para pregoeiros em um hotel na orla e dura o dia todo. Sendo assim, o melhor é almoçar por lá mesmo e resolvi fazê-lo no próprio hotel (não tava a fim de me encher de areia da praia). O segundo garçom que veio me atender engatou o seguinte diálogo:

- Tenho a impressão de conhecer a senhora (vontade de voar no pescoço dele) de algum lugar.
- É mesmo? De onde?
- Creio que do Château Blanc, senhora (vontade de voar no pescoço dele 2).
- Ah, sim. Boa memória a sua (e eu nem tinha prestado atenção nele no fatídico dia).
- Minha memória não falha, não.

Daí por diante ele colou junto à mesa e se pôs a puxar assunto. Infelizmente eu estava sozinha e não quis ser mal educada. Contou que já fez acordo para sair desse restaurante, pois começou a estudar pela manhã e, de repente, não mais que de repente, ele diz:

- O curso está bom?
- Está sim.
- Quando vai ao Château Blanc novamente?
- Não sei.
- Amanhã vai ter sertanejo lá. Jorge e Mateus.
- É mesmo? Que legal...
- O molho estava bom?
- Sim, estava gostoso.
- Eu pedi para capricharem.

Liguei para minha amiga e contei o ocorrido. Ela disse que ele estava me achando rica e resolveu colar em mim. Rimos e eu falei que tava achando a mesma coisa, já que os lugares onde nos encontramos não são populares. Mal sabe ele que entrei no Château quase à força e que almocei no hotel para manter minha pele trabalhada na maquiagem e meu cabelo longe da areia e da maresia.

Gente, nada contra garçons e não estou me achando melhor que o rapaz, mas que a situação foi inusitada, isso foi... Amanhã é o último dia do curso e nem sei se almoço lá outra vez.

6 Entra aí!:

Rafael Belo disse...

querida só faltava deixar de frequentar o lugar por amis um segundas intenções da vida rs bjs bela saudades 2 o retorno dos que não foram

andreia inoue disse...

ahhaha...eh o preco por frequentar lugares chiques.
:D
mais sera que ele nao gostou de vc,nao simpatizou?pode ate ser.
beijaoo.

Déia disse...

kkkkkk

Diga q sua religião não permite comer e conversar...
Que a hora da comida é sagrada e precisa ficar em silêncio kkkkk
Em memória aos camarões mortos rsrsrs

bj

Luna Sanchez disse...

Ô, Moniquinha...não dá pra considerar a possibilidade do carinha ter te gravado na memória por interesse de outro tipo, não? Será que sou uma boba romântica? Rs

"Pele trabalhada na maquiagem" é tudo de bom.

* Obrigada pelo carinho lá no blog, viu? =)

Beijo, beijo.

ℓυηα

Vanderson disse...

Garçom safadiênhuuu!!
heheheheh
Abraçoooo!

Emili disse...

hahaha
adorei o post..
ri bastante lendo os fatos.