The end.

Ao chegar em casa, ontem, fui surpreendida com a notícia da morte de Michael Jackson. No momento, foi só o susto de uma notícia inesperada, já que ele estava fora da mídia há um bom tempo e, embora eu admire sua trajetória como artista, não sou fã fervorosa.

Depois, parece que a ficha caiu e comecei a pensar. Lembrei de tudo que foi mostrado de sua vida pública e pessoal. As transformações físicas, as demonstrações de uma pessoa desorientada que sofreu maus tratos físicos e psicológicos durante sua infância, tendo se tornado um "adulto" cheio de traumas e que foi perdendo sua identidade, se é que a teve um dia. Em contrapartida, sabia-se de um Michael humano, que ajudava muitas pessoas e compunha músicas em que visava um mundo melhor onde não houvesse sofrimento.

Analisando tudo isso, senti uma profunda tristeza e compaixão. Tristeza por ver uma pessoa se destruir dessa forma; de querer adquirir uma identidade diferente daquela que seu pai menosprezava. Compaixão por imaginar, bem de longe, todo sofrimento que ele guardava em si e pela possibilidade de ele ter realmente praticado as atrocidades das quais fora acusado.

As rádios daqui também lhe fizeram homenagens e tocaram suas músicas. Eu, que dificilmente sinto tanto a morte de pessoas famosas, confesso que meus olhos marejaram ao ouvir uma canção que postarei aqui. Espero que ele possa ter alcançado o mérito de ser amparado por amigos durante sua passagem e se deixe conduzir àquilo que for melhor para ele nesse momento.

Uma das músicas mais bonitas, na minha opinião:

9 Entra aí!:

Stella disse...

Olha, várias pessoas falando da morte dele, mas continuo dizendo: "Nunca mais vai existir um 'showman' como esse cara." É fato.
Mas o melhor comentário que vi foi num blog que vou transcrever aqui:

"Michael é que nem aquela tia que a gente gosta muito, mas ficou maluca. A gente visita ela no hospício, tem pena, mas ainda assim, é a nossa tia." por sublimesucubus.blogspot.com

Beijos, moça!

Sandra Timm™ disse...

Eu SÓ acho que a perda nao sera ainda maior pq ele ja nao era o mesmo há muito tempo... E o que era realmente bom, foi imortalizado.

Lou disse...

Eu gosto demais das músicas dele!
Mesmo ele tendo ficado com a cara bizarra, o talento dele é inquestionável.
Fiquei triste, porque o auge do sucesso dele foi na minha infância, então, eu lembro de muita coisa bacana dessa época.
Enfim...
Pelo menos ele deixou um legado!
Beijos

A Língua Nervosa disse...

Ele foi um grande Pop StAr!
foi maravilhoso como cantor, compositor, dançarino...mas sua vida pessoal...do que eu sei, sofrei muito...vivia num mundo de fantasia...a minha intuição é de que ele era realmente um peter pan...e parece que não tinha jeito com a vida adulta...
Que enxergue os anjos e que todos se acabem fazendo mil trejeitos...como ele fazia!
que esteja uma grande festa onde ele estiver!

e um otimo final de semana patu, monkinha!

andreia inoue disse...

eu adoraria ter ido em um show dele,achava o maximo as musicas,a danca e o estilo dele,apesar de de uma coisa ou outra bizarra,mais va saber se nao era alguma doenca mesmo ne?quem sabe na real o que acontecia com ele!!!
beijaooo.

disse...

HJ tive q me manifestar sobre seu post. Impressionante q acho q tive a mesma impressão a respeito do q vc disse, da compaixão, enfim...Eu nem curto mto as músicas dele, assim de baixar e tudo, mas sempre achei q tinha umas coreografias bacanas e a voz dele, tb, mto afinada.
Fofoca vai e vem e sabe-se la o q realmente acontecia. Putz, esse cara foi marcado, é isso q posso dizer, alem de lamentar a morte precoce, realmente uma pena, mas q Deus o tenha.

Abrax

Karen disse...

Como eu disse no blog do Gio.. pensamos que ele mesmo se destruiu. Com certeza sua tragetória foi marcada de sofrimentos, e coisas ruins. Ele poderia ter sido mais feliz. E sua morte o deixa eternizado na história, e no coração de muita gente.

R.Vinicius disse...

Ele morreu. Porque será que ninguém consegue deixá-lo em paz?

Como eu li durante essa semana "Agora as vendas vão decolar na terra do nunca."

Abraço,
R.Vinicius

Déia disse...

Parece que cada dia tô mais triste com essa história!