Um amigo, um tesouro.

Era uma vez Mônica e André. Conheceram-se mais ou menos na 3ª ou 4ª série (não lembro exatamente) e estudariam juntos até a 5ª. André sempre foi metido a engraçadinho e, um belo dia, numa certa aula de Ciências, na 5ª série, a turma estava simplesmente enlouquecendo a professora com conversas paralelas. Sem suportar mais, ela berrou por silêncio e ameaçou castigar a turma se mais alguém desse um "pio" que fosse. Mal a professora fez a ameaça, adivinhem quem soltou um "pio!"? Se vocês responderam André, acertaram! No mesmo instante, ele viu todos olharem para ele e sentiu como se flechas atravessassem todo seu corpo. Não lembro do que a professora fez, mas todo mundo ficou com raiva e ele ficou encolhido na carteira.

No ano seguinte, André mudaria de turno e, depois, de escola. Isso não foi motivo para que ele perdesse contato com Mônica, nem com outros amigos que fizera. André sempre gostou de desenhos de super heróis, revistas em quadrinhos e dinossauros (até hoje é assim!). Pessoa sensível, sonhadora e romântica. Aqui, abro um parênteses para dizer que Mauri está certo em sua teoria sobre os homens alfa; acho que esse meu amigo se encaixa perfeitamente nessa categoria, fecha parênteses.

Como não se viam, sempre que dava, ele ligava para Mônica. Mas ela sentia impaciência de ficar, no mínimo, uma hora ouvindo André falar sobre os gibis e desenhos dos super heróis, sobre dinossauros e algumas outras coisas. E assim o contato se mantinha entre um telefonema e outro.

Um belo dia, e ela nem sabe precisar exatamente quando, André se tornou seu primeiro melhor amigo. Alguém para quem ela começou a contar coisas que só contava para as amigas e lá estava ele, sempre disposto a ouvir e pronto para dar um conselho ou oferecer uma palavra de conforto e de carinho. Foi então que, finalmente, Mônica se deu conta do amigo maravilhoso que estava há tanto tempo ali e que ela demorou pra perceber, embora ele já a considerasse e muito.

Até hoje, Mônica tem o prazer de conviver com o jeito único que André tem de ser amigo; irmão; sensível; apaixonado; sonhador; determinado; companheiro; cúmplice; engraçado (tirando a parte das piadas sem graça em momentos inoportunos) e mais um monte de coisa. Enquanto que ele, desde aquele tempo, convive com o jeito que Mônica tem de ser sempre - amiga; pé no chão e palhaça - e às vezes - chata; insensível; mau humorada (quando está com problemas, ou quando ele faz as piadas sem graça) e impaciente, mas que, apesar desses e outros defeitos, tem por ele um enorme carinho, sentimento de amizade e gratidão por ele se fazer presente em sua vida até hoje, em todos os momentos.

*Essa é a história sobre o amigo que foi ao cinema ontem comigo.

**Sandra, eu nem sonhava em te conhecer naquela época, toma tua linha!!! rs

***Meninas, eu sei que as conversas não serão reveladas, estava só brincando pra deixar o pessoal curioso! ehehehe

****A história do telefone foi podre, né? Não faço mais isso! Mas com relação a nomes, continuo a mesma, sempre pergunto e se a pessoa questiona: "lembra de mim?", eu digo não quando não lembro. haha

*****O filme é ótimo, mas isso é conversa pra outro post. Quem quer saber o final? kkkk

Hoje é sexta feeeeeiraaaaaa!!! Dia de natação \o/. Dar ou não dar o chocolate?

3 Entra aí!:

Adlianny disse...

Humm, post quentinho, esse acabou de sair do forno e eu tava bem aqui fuçando na hora da publicação uahuahuahuhauaua.

Que linda essa história com seu amigo, tenho uma amizade bem parecida, mas nesse momento minha alma irmã, amigo confidente, pedaço de mim que tanto amo está no Canadá :(... Ele volta em outubro e eu já tô toda prosa uahauhuauaauhauah.
Aiii adoro deixar o povo curioso e tbm adoro nossas conversas \o/.
Ahh vc continua assim com nomers? Duvido, mas duvido mesmooo que vc consiga esquecer meu nome, um nome desse ngm nunca esquece hahahahaha

Aiii menina tô loucaaa pra ler o próximo post, o do chocolate, lógico que dá genteee, vai logooo.

Beijooo Monikinha lindaaa

Lou disse...

Fiquei boiando nessa do chocolate, mas tudo bem, hahaha...

Ai, esse seu post me lembrou o meu melhor amigo que não vejo faz anos... Que vontade de chorar, eu sinto infinitas saudades dele!!!

Realmente, um amigo verdadeiro é muito, muito mais difícil do que um namorado.

Eu quero o meu amigo de volta.

E o filme, foi útil?

Beijão!

Rodrigo Brower disse...

Linda história,e acho que é sempre assim, conquistamos amigos e muitas vezes nem nos damos conta! Ótimo feriado! Bjs