"Quem sabe o que se dá em mim, quem sabe o que será de nós?"



Nem só de Humberto Gessinger se alimenta meu gosto musical. Ney Matogrosso faz parte dele desde que eu era criancinha quando ele fazia parte dos Secos e Molhados. Sua voz; sua irreverência; sua história de vida - embora eu não tenha um grande conhecimento sobre; sua beleza e sua interpretação não cansam de me encantar a cada novo trabalho. Costumo dizer que até o "Créu" se torna audível se ele cantar porque não tem uma regravação que ele faça que não fique excelente.

Enfim...sou loucamente apaixonada por ele. Não assisti a muitos de seus shows porque ele não vem aqui com frequência, mas tive a felicidade de estar presente no show em que ele interpretou as músicas de Cartola e naquele instante podia o mundo se acabar que eu estaria feliz. Tinha realizado o sonho de vê-lo bem de perto, ouvir essa voz única cantando as mais belas canções.

Espero ter pelo menos mais uma oportunidade de vê-lo no palco.

Ps.: O Youtube continua com a mesma palhaçada de dizer que o post será publicado em breve no meu blog. Enfim...

3 Entra aí!:

Lou disse...

Também gosto dele!
E como rebola, não? Cara, ele é bem velho e está tão em forma! Quem me dera... Mas, ele tem uma alimentação super regrada, já eu, hahaha, sem comentários...
Beijinhos!

M. disse...

Olha, eu sou um dos primeiros que sempre está lá para defender todos os gostos e tal... Mas mew, posso confessar uma coisa???

Caio na gargalhada sempre que vejo o Ney.

=P

Mauri Stern Boffil disse...

Eu gosto dele tb! Mas confesso que gostava mais da época do olha o bambo de bambu bambu bambu, olha o bambo de bambu bambu le lê (super referente ao material da katana).
Bjs