"Me dá sua palavra, sussurre em meu ouvido só o que me interessa."



Homem é tudo palhaço mesmo, é fato! E mulher é tudo besta, outro fato!

Até hoje perto do meio dia eu estava com meu coração sossegado. As duas pessoas capazes de fazê-lo acelerar estavam sumidas ou quando apareciam online não falavam comigo. Por ironia do destino, os dois resolvem aparecer hoje e falar comigo praticamente ao mesmo tempo.

Até falei em um deles no último post: meu "sapinho de estimação" (que tanto já beijei e não vira príncipe...). "Veja bem, nosso caso é uma porta entreaberta..." e dura desde os meus 23 anos em um vai e vem que parece não ter fim, pois vira e mexe acabamos nos reaproximando porque tenho um sentimento por ele que não consigo definir, nem compreender. Ultimamente venho levando-o na linha dura, buscando forças bem lá no fundo do meu ser pra não sucumbir às suas investidas e pra me poupar de mais uma desilusão.
A maioria dos meus amigos que conhece a história diz que é melhor eu me afastar, mas há quem diga que eu devo dar uma chance a mim, ao que sinto por ele, afinal, nem eu sei se é amor, paixão ou apenas uma cisma. É nessas horas que eu tenho raiva de ser tão racional, de pensar em mil possibilidades e deixar as coisas passarem. Devia adotar a máxima: "Quer romance? Compre um livro!". Em uma das últimas vezes em que conversamos ele me disse que não consegue expressar seus sentimentos, que é tímido pra essas coisas, como se estivesse me dando um toque, sei lá...
Resultado: ele veio todo fofo falar comigo e, conversando com uma amiga, ela sugeriu que eu o convidasse para beber um vinho nesse carnaval. Resolvi arriscar, fiz o convite e ainda não recebi resposta. Vamos ver...

Quanto ao outro, também já falei nele por aqui. Com esse a situação é ainda pior. Ele mora em outro Estado. Nunca senti seu cheiro, sua pele, enfim... nunca o vi na vida (só por foto), mas sabe aquela afinidade que sentimos e não sabemos explicar? É assim entre a gente até ao ponto de sabermos o que o outro está pensando. E olhe que nosso contato tem sido somente virtual e em raríssimos momentos. Mas houve um tempo (bons tempos...) em que não passávamos uma semana sem nos falar ao telefone. Obviamente, a distância se encarregou de estragar as coisas. O fato é que passemos o tempo que for sem nos falar, parece que a última conversa foi ainda ontem. Tem épocas que a saudade é tanta que chega a doer (sim, eu devo ter sérios problemas psicológicos...).

E assim eu vou vivendo. Não acho ninguém interessante, até porque os homens não querem mais ter o "trabalho" de conquistar. Querem chegar, pegar e levar pra cama e depois partirem pra outras. As conversas são as mesmas, as atitudes e intenções também. Existem exceções, claro, mas são gays, casados, noivos, namorados, ou seja, não estão disponíveis. E foi pensando nisso que enchi a cara de chocolate e comi mais umas coisinhas que acabaram por acordar minha gastrite...

Boa notícia: emagreci 1 kg, faltam 3!

Ao som de Lenine... música perfeita.

2 Entra aí!:

Lou disse...

Será que é por isso que eu compro muitos livros? Se bem que há uma diferença entre romance e romance romântico, né não?
Às vezes é melhor o sapo não virar princípe, porque é aí que eles esnobam a gente mesmo...
(Ih, sou péssima pra dar conselhos amorosos, muito ácida. Esquece.)
Enfim, oxalá dê tudo certo!
Beijinhos

Rome disse...

Oi Mô!

Visitei esse seu cantinho particular e AMEI!!! rsrsrs

Suas palavras expressam o que realmente há em vc, uma verdade absoluta, nua e crua! Seu jeito de pensar e agir é tão claro, objetivo, que não deixa margem pra dúvidas... vc é do tipo: "sou assim, goste se quiser!" E isso é bom. É muito difícil encontrar gente verdadeira nesse mundo!

Bom, desejo que vc obtenha sucesso no "investimento", mas se não obtiver, vire a página, faça a fila andar sem reservar lugar na frente...

E lembre-se que, geralmente, as pessoas são dão valor a partir do momento que sentem a perda!