Driblando a crise.

Ontem, no intervalo do meu estudo sobre os tipos de mediunidade, vi minha mãe assistindo a um programa sobre pessoas que encontraram uma forma de driblar essa crise econômica que tanto tem nos tirado o pouco que temos. Na reportagem apareceram várias alternativas curiosas:

Ex dona de pet shop virou motorista particular dos vizinhos do condomínio; uma senhora fez da sua casa pensão masculina e oferece casa, comida e roupa lavada, mediante pagamento, claro; um rapaz da área de informática resolveu ser personal paquera e dá um curso de técninas de paquera de R$ 700,00 por mês, com aulas teóricas e práticas; uma moça que aluga sua amizade por R$ 40,00 a hora para aquelas pessoas que não têm amigos, mas não trabalha com homens, pois eles "confundem" as coisas.

Algumas dessas pessoas tinham um meio de vida e, de repente, viram-se sem ter como sobreviver e encontraram meio alternativos de trabalho. Isso me fez lembrar uma historinha:

Havia uma família humilde que morava no campo em uma casa de tapia e só tinham uma vaquinha que fornecia leite. Então, o leite era usado para consumo da família e o restante, comercializado. Um belo dia, a vaquinha, sustento da família, morre. Ao invés de se abaterem, as pessoas começaram a explorar a terra e fizeram plantações váriadas. Dessa nova atividade, a família foi melhorando as condições de moradia e tendo uma vida mais farta.

Diz o ditado: quando Deus fecha uma porta, abre uma janela. O conformismo impede nosso crescimento. Cabe a nós cultivar nossos talentos, trabalhar, crescer. As dificuldades vêm para nos tirar da estagnação, para nos fazer perceber que podemos, que temos força e coragem.

Fiquei refletindo após a reportagem e vi o medo em mim. E se eu ficar sem a "vaquinha" que quebra meu galho? Tenho me acomodado demais e, apesar de me incomodar com isso, não estou conseguindo agir, dar o primeiro passo. A consciência disso já é alguma coisa, mas não o bastante...
*************************************************************************************************
*Gente, alguns de vocês confundiram tudo!! Não era o "chocolate de 1,80m" que tomava banho lá fora, mas o coleguinha que voltou para a academia segunda. Eu não ia fazer campanha para o "chocolate" tomar banho lá fora, né? De concorrência, basta a namorada! rs

**Lou, minha filha, larga de ser doida, mulher!!! Como assim você dispensou o teatcher? Mas, com essa sua informação, até me animei. Vai que ele resolve dar um pé na moça e me botar na fita, né?

Boa quarta pra nós!

9 Entra aí!:

Mauri Boffil disse...

uahuahuahuahuahua
eu to quase entrando nesse nivel de desespero

A Língua Nervosa disse...

menina...
eu to na mesma...
sei que não é bom a acomodação...mas fico na mesma...talvez por não saber o que preciso para o primeiro passo...coragemmmmmmmmmmmmmm....e tb falta de oportunidade né!
ai ai ai

Karen disse...

Meu namorado tá querendo abrir uma academia de luta, né. Ontem começou dar tudo errado pra ele, e eu disse.. 'Ramon, quando Deus fecha uma janela é pra abrir uma porta'.. Espero que as portas se abram mesmo, porquê é foda. ;/'

Beeeijos *-*'

Dri Viaro disse...

Bom feriadaoooo

bjssss

Rodrigo Brower disse...

Lindo template, não tinha visto ou reparado antes hehehe. E sobre medo..tudo sempre se encaixa quando temos boa vontade, ter medo é acreditar que algo ruim pode acontecer..e dar força pra isso, eu acredito no bem e que sempre algo bom vai acontecer, porque tudo sempre leva para o melhor =D Bjao

Déia disse...

É, vc saberá o que fazer quando vir sua vaca esborrachada la em baixo do barranco rs

De repente posso virar personal bloguer kkk escrevo pra quem tem preguiça kkkk

Confundimos o chocolate? Vc fica falando de homem tomando banho.. a mulherada pira né? kkkk

bjs

dctorxix disse...

auauuu.........vaca ..vovo ainda tem algumas

abraços

R.Vinicius disse...

Saídas interessantes para a crise, e a falta de dinheiro. Ótimo feriado.

Abraço,

R.Vinicius

Sandra Timm™ disse...

Odeio essa história da vaquinha.

Um chefe a usou para me demitir... foi a demissão mais cansativa que ja tive. Louca pra me ver livre daquele lugar (EMBRATEL) e tendo que ouvir tertulia flácida para adormecer bovinos...