"Não és bom, nem és mau."

Não és bom, nem és mau: és triste e humano...
Vives ansiando, em maldições e preces,
Como se a arder no coração tivesses
O tumulto e o clamor de um largo oceano.
Pobre, no bem como no mal padeces;
E rolando num vórtice insano,
Oscilas entre a crença e o desengano,
Entre esperanças e desinteresses.
Capaz de horrores e de ações sublimes,
Não ficas com as virtudes satisfeito,
Nem te arrependes, infeliz, dos crimes:
E no perpétuo ideal que te devora,
Residem juntamente no teu peito
Um demônio que ruge e um deus que chora.

Olavo Bilac, in "Poesias"

Preguiça mental e uma súbita falta de interesse por muitas coisas e algumas pessoas. Encontrei esse poema e de repente pareceu que eu estava diante de um espelho que refletia meu interior porque muitas vezes me pego desacreditada de tudo, sem saber quem realmente eu sou e o que eu quero para minha vida, sem me sentir útil para mim e para o mundo...

3 Entra aí!:

Lou disse...

Ih, Monks... Acho que você está no meio de uma crise existencial!
Eu tenho um feeling sobre ele ser gay, mas não tenho certeza. Na verdade, acho que é melhor pensar isso do que constatar que ele simplesmente não se interessa por mim.
Descrente que nem você. Eita...
Bjs

Sieger disse...

Nem me fale em preguiça... ando me arrastando de virose pra ir trabalhar.
Bjs

disse...

Fala fia !
Impressão minha ou oce anda meio q sumida?
Esse poema q vc colocou ai eu já tinha visto por ai, um dia, qdo andava meio perdida na web e digo q reflete uma certa dose de descrédito,de desesperança, sei lá, pra mim, parece mais um lamento do que um poema, embora a beleza das palavras e sua veracidade. Acho q vc não devia estar num dia mto bom qdo postou ele, mas, se adianta de algo: amanhã sempre é outro dia e tudo acaba passando, até as coisas ruins, a vida é assim mesmo...
E no mais, tudo certinho?

Bjo